terça-feira, 26 de julho de 2016

Um Lance no Escuro... e Pedro Vieira!



O Pedro Vieira é um extraordinário indivíduo de múltiplos talentos (na televisão, no mundo da literatura e muito mais) é o convidado de hoje do Lance, naquela que é a 58.ª e antepenúltima emissão. Uma emissão divertida sobre livros, experiências de vida... e filmes. Podem ouvir tudo na barrita de baixo, ou então há sempre a hipótese de levar o podcast para todo o lado - para tal, é só ir aqui.


UM LANCE NO ESCURO 49

quinta-feira, 14 de julho de 2016

Um Lance no Escuro... e José Ruy!


O programa aproxima-se do fim, mas até lá, prometo trazer-vos convidados muito interessantes. Esta semana, foi a vez do lendário José Ruy, mestre da BD, uma das maiores referências da nona arte portuguesa, e um enorme artista com muitas histórias para contar. Foi um prazer conhecê-lo e visitar o seu estúdio, onde estava a preparar mais um álbum. Um génio com 86 anos que não pára! Aqui fica a conversa em baixo (ou então, podem descarregar o podcast aqui).
UM LANCE NO ESCURO 48

segunda-feira, 11 de julho de 2016

Um Lance no Escuro... e João Braz!


Dias antes de Portugal vencer na competição europeia do jogar à bola, houve Um Lance no Escuro e o convidado foi o montador João Braz. Uma conversa riquíssima em histórias do cinema e outras coisas mais, que podem ouvir aqui em baixo (ou então, levem-nos para todo o lado, descarregando o podcast).


UM LANCE NO ESCURO 47

segunda-feira, 4 de julho de 2016

Mais partilhas

Eis outro daqueles posts em que referencio coisas que faço para outros sítios.


Mais uma quarta-feira, mais Um Lance no Escuro! O convidado desta semana José Hartvig de Freitas, consultor das colecções de BD da Levoir e um dos colaboradores da editora G-Floy, é o convidado desta emissão. Uma conversa sobre BD, os preconceitos que se perpetuam em relação à nona arte, o mercado editorial e... Ingmar Bergman. Podem ouvir a conversa aqui.


Tive a enorme oportunidade de estar à conversa, durante quase duas horas, com o escritor Mário Zambujal. Foi para um trabalho da faculdade, mas fiquei com pena de deixar a entrevista final a ganhar pó no computador. Como nenhum jornal quis pegar nela, decidi publicá-la na casa em que estou há um ano e meio, a Máquina de Escrever. Muitas histórias e memórias divertidas em pouco mais de 10 000 caracteres, que podem ler aqui.

E ainda;

- Esqueci-me de partilhar um pequeno artigo que escrevi, há um par de meses, para a NOVA Magazine, sobre a conferência que o artista Vasco Araújo proporcionou na FCSH. Fica aqui o link.
- E duas colegas decidiram usar-me para um trabalho de jornalismo. O resultado está aqui.

sexta-feira, 1 de julho de 2016